Edu Agni

Edu Agni

UX Maturity

Todo profissional de UX com um mínimo de rodagem já passou pela situação de enfrentar grande resistência para implementar processos de UX dentro de uma empresa - ao ponto de até mesmo se questionar quanto a sua competência como profissional - ao mesmo tempo que em outras empresas a compreensão sobre o assunto fluía com mínimos esforços. Meus primeiros pensamentos a respeito sempre foram o de atribuir essa questão ao segmento, porte, princípios ou tempo de vida da organização. Mas com o tempo essa teoria caiu por terra, visto que muitos desses quesitos eram compartilhados por organizações com abordagens bem diferentes sobre a questão da UX e dos processos centrados no usuário. 

Até que um dia, conversando com alguns de meus alunos sobre a questão, um deles soltou a frase: “Isso tudo me parece uma questão de maturidade mesmo”. Foi então que resolvi jogar no Google o termo UX Maturity, e tudo que encontrei e li a respeito mudou profundamente a minha linha de raciocínio sobre a questão, por mais simples e óbvio que tudo parecesse depois.

Na época, o primeiro texto que o Google listou em seus resultados foi o estudo do Nielsen Norman Group sobre o assunto, dividindo essa maturidade das organizações em oito níveis, descritos em dois artigos. Depois me deparei com artigos como o How Mature is Your Organization when it Comes to UX? do UX Magazine, ou o Corporate UX Maturity: A Model for Organizations da UXPA Magazine, entre muitos outros. Mas o que mais fez sentido para mim naquele momento foi um whitepaper produzido pelo pessoal da Macadamian intitulado Introducing UX into the Corporate Culture: A User Experience Maturity Model, que mostra de uma forma muito clara e estruturada que [1] alcançar a excelência no trabalho de UX Design não é apenas uma função ou talento de indivíduos mas sim uma característica organizacional, e que [2] compreender o nível de “maturidade” de uma organização é o primeiro passo crítico para melhorar a entrega efetiva do UX Design e permitir que a empresa avance para o “próximo nível”.

Sobre o palestrante

Edu Agni é especialista em User Experience. Trabalha como Designer há 14 anos, sendo os últimos 7 dedicados as áreas de Arquitetura de Informação, Usabilidade e Pesquisa. Já colaborou em empresas de diferentes segmentos, entre elas a ContaAzul, Grupo iMasters e ESM Marketing Esportivo. É criador e editor do //ux.blog, diretor da UXPA SP e fundador da Mergo User Experience, uma escola focada em cursos na área de UX.


https://www.linkedin.com/in/eduagni/