Caio Calado

Caio Calado

Precisamos falar de acessibilidade nos chatbots

Em 2017, nossa indústria ouviu falar muito sobre chatbots, especialmente porque foi considerado um tópico quente para a maioria das pessoas — em alguns casos "isso é tão Black Mirror ...", algumas pessoas disseram (eu também). Antes de chegar lá, ainda temos muito a aprender, principalmente quando se trata de acessibilidade.

Por exemplo: o que acontece quando uma pessoa cega tenta usar seu chatbot?

Considerando que a maioria dos softwares raramente são projetados com as necessidades das pessoas com deficiência em mente e os chatbots podem ser considerados um software, eu gostaria de compartilhar algumas descobertas que eu fiz ao realizar uma pesquisa de UX e testes de usabilidade - e o porquê devemos nos preocupar com esse problema.

Uma vez que estamos prestes a viver numa era exponencial, acredito que projetar produtos com falta de empatia, diversidade e principalmente pessoas podem contribuir para criar “wicked problems” muito em breve. É por conta disso que precisamos falar sobre essas coisas agora, não depois.


Sobre o palestrante

Como Chatbot Advocate na Take, ajudo a Take e seus clientes a criar experiências através de chatbots — sendo um deles considerado um case global pelo Facebook. Também co-organizo e facilito ações para capacitar pessoas e empresas através de uma comunidade com 7.500+ pessoas interessadas em chatbots no Brasil.

https://www.linkedin.com/in/caiocalado/